quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Sus-peito Aberto!

 Sus-peito Aberto!
Miguel Garcia

Tudo o que fazemos na vida não nos traz nada, a não ser preocupações e desgostos. Não podemos descansar, nem de noite. É tudo ilusão. Eclesiastes 1:2, 2:23.

Rejeito cabalmente a "pureza" da resposta das crianças, de que: “é a vida, é bonita e é bonita”... É bonita para quantos e mesmo para esses poucos, por quanto tempo?

E quanto à resposta "ter que vir das crianças":

“Então, um homem, isso não existia verdadeiramente? Raspando os ouropéis do adulto só se recuperava um menino? Então os anos só acrescentaram pêlos, a barba, as preocupações, as brigas, as tentações, as cicatrizes, a fadiga, a concupiscência e nada mais?” Éric Emmanuel Schimitt


Numa tentativa de fala adulta, sem com isso pretender ao fatalismo ou pessimismo além do que já se faz nor-“mal” e habitual, como não ter vergonha de ser feliz se 6,5 bílhões de seres humanos vagam aqui como fantasmas torturados em inferno dantesco? Não tem nada de 'bonita' uma realidade dessas: é dorida, é maldita e é maldita!

Como “viver e não ter a vergonha de ser feliz... cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz?”... Quem em sã consciencia poderia ufanar e bravatear tal afronta aos excluidos e miseráveis de todos os tempos e lugares?

Viver sujeito à humilhação, à indignidade ou à miséria físico-moral é viver?
Subsistir sem consciência de estar vivo, como em casos de lesões físicas gravemente incapacitantes, tudo isso não acaba por retirar da vida seu caráter de bem precioso?


Estamos, bem ou mal, equipados para lidar com dores e prazeres, ambos cabendo em nossos corpos e mentes, mas o absurdo, a gratuidade do infortúnio, a impossibilidade de entender por que vivemos, paralisam o centro vital do Eu e desmontam o sentido do valor da existência, de forma muitas vezes irreversível...

Vassum Crisso

Um comentário:

Diana disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.